domingo, 27 de julho de 2008

Revelando Vale do Paraíba

Fala galera,
Eu e meu amigo Dannyel fizemos uma visita ao Revelando Vale do Paraíba há algumas semanas atrás que aconteceu em São José dos Campos. Claro que não poderia deixar de publicar aqui no Rotas & Rumos.
Um dos melhores eventos de propagação da cultura regional deste país é organizado em 7 diferentes regiões do Estado de São Paulo, sendo a do Vale do Paraíba, da região da Alto Mogiana, Vale do Ribeira, Grande SP, região de Bauru, Litoral e região Bragantina, todos organizados pela Abaçaí Cultura e Arte.
Na edição do Revelando Vale do Paraíba, durante uma semana são organizados shows, apresentações de grupos folclóricos, desfiles de carros de boi, procissões, grupos de catiras, moçambiques... Isso sem contar nas inúmeras barracas de comidas típicas e de artesanato. O mais interessante é que cada cidade está representada através de sua culinária e de seu artesanato, divulgando obras perfeitas de artistas até então desconhecidos. Encontramos todo o tipo de artesanato, desde simples bonecas de pano e de palha feitas a mão, até representações em barro de cenas típicas do nosso Vale do Paraíba, sem esquecer, é claro, de obras feitas na madeira como grandes carros de boi e santos padroeiros das mais diversas cidades. Algumas peças chegam a impressionar pela beleza e sutileza nos detalhes.

Como não poderia faltar em um evento como este, foi montada uma capela com a imagem de Nossa Senhora Aparecida - padroeira do Brasil e de muitos tropeiros, cavaleiros e andantes do Vale do Paraíba. Senhores de chapéu e suas mulheres, crianças e pessoas de todas as idades entravam e saíam da capela a todo momento, provando mais uma vez que a religiosidade é o ponto alto da cultura valeparaibana.Outras manifestações culturais, religiosas ou profanas, também figuraram durante o evento. A chegada dos grupos de moçambiques e congadas foi uma das grandes atrações da festa. Representando as mais diversas cidades, estes grupos liderados pelos guardiões da cultura regional eram formados ainda por crianças e pessoas bem simples que têm nessa expressão cultural um legado passado de pai para filho. Foi bonito ver o entrosaento dos grupos, a animação e a beleza simples das roupas e enfeites.
Atrás dos grupos folclóricos, chegaram os carros de boi que traziam os santos padroeiros das mais diversas cidades. No dia que fomos, estavam presentes São Benedito, Santo Antônio entre outros. Os carros passavam e as pessoas aplaudiam a chegada do santo.Claro que não posso deixar de contar o principal da festa que foram as comidas típicas. Como no ano passado, chegamos cedo para tomarmos um cafezinho preto na caneca de ferro esmaltada (que de acordo com o Dannyel faz com que o café nunca pare de sair fumaça) com uma delicosa broa de milho. Desta vez fomos na barraca de Redenção da Serra. Na hora do almoço foi difícil escolher dentre tantas opções entre galinhadas, feijão tropeiro, afogado, vaca atolada, costelinha de porco e por aí em diante... Acabei ficando com a galinhada famosa de Guararema e um suco de uva da cidade de São Roque. Apesar de ter ficado 40 minutos na fila, valeu a pena a escolha que fiz.
Depois do almoço, não sei se foi a galinhada ou a pinga "Marvada Neide" que tomei com um pão com lingüiça que me deram um tremendo sono. Fiquei estirado na grama do Parque da Cidade até minhas energias voltarem. Pensando bem, acho que foi o efeito tardio da "Marvada Neide" que fez isso comigo.
Abraços e vou pegando meu Rumo...

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom!

Fernando Ferrarini disse...

Fala Glauco,
O seu blog está demais. Parabéns pela iniciativa e por ressaltar a importância e a cultura da sua região. Ainda quero ver a minha querida Jundiaí no Rotas e Rumos! E olha que aqui tem vinho. Só não vai abusar que nem vc fez com a "Marvada Neide"!

Ro e Ca disse...

Glaucão, como é que eu falo com vc!!!
Meu e-mail nao chega na Embraer, me escreve no e-mail pessoal, por favorrrrrr